top of page
  • Caroline Hirasaka

O que aprendemos com a fraude boi gordo

Atualizado: 28 de dez. de 2022

Já falamos sobre o fantasma da Boi Gordo e os desafios de credibilidade neste mercado aqui neste post, mas de fato, quais foram os impactos da "Fazenda Reunídas Boi Gordo"?


Além de ter se tornado uma das maiores fraudes financeiras já aplicadas em nosso país, foi também uma inspiração para a telenovela: "O Rei do Gado", um sucesso da teledramaturgia nacional e também um portão de entrada para a massificação da possibilidade de investimento em gado.


Ao todo, foram mais de 30 mil investidores lesados em um movimento onde os contratos vencidos eram pagos com recursos de novos participantes, levando a empresa a pedir concordata em 2001 e falindo três anos depois. Os processos judiciais se arrastam até hoje e o mercado pecuário foi drasticamente impactado.


Com base neste histórico, é praticamente impossível falar de FazendaCheia sem que este tema seja resgatado nas redes sociais. Nós entendemos, respeitamos e estamos inovando com tecnologia para resgatar a credibilidade perdida e mostrar que estamos fazendo o dever de casa em relação aos erros do passado. - Valder Zacarkim (CEO)

Você que nos acompanha de longa data, sabe o que temos feito para democratizar investimentos de qualidade na economia real, e sabe também que um dos nossos pilares é a adição de tecnologia para ofertar visibilidade da operação pecuária nas duas pontas (Produtor rural e investidor). E para tanto, entende que o rigoroso cumprimento da legislação que rege os investimentos coletivos em nosso país é fator determinante para suplantar o legado negativo dos anos 90.


Como plataforma de investimento participativo regulada pela CVM, buscamos sempre garantir que o investidor tenha tudo o que precisa para tomar a sua decisão de diversificar seus investimentos em gado a partir da nossa plataforma.

Dando início a esta desconstrução, apresentaremos nesta matéria o veículo de investimento denominado ‘Contrato de Investimento Coletivo - CIC’, utilizado em 2001 para captação de recursos e as principais diferenças aplicadas nos modelos atuais.


Afinal, o que mudou desde então?


No aspecto legal, não houve alterações para o veículo de investimento CIC desde 2001, uma vez que a falha estava no cumprimento de suas exigências e não no modelo de contrato em sí.


De lá pra cá, com o avanço da tecnologia e a demanda de se regular ofertas alternativas de forma a democratizar o acesso com maior segurança, novas instruções como a CVM88 tornaram possível a realização de ofertas públicas de forma descentralizada e regulada. Um modelo que não existia antes e que hoje viabiliza o nosso modelo de operação. Um grande acerto!


Trazendo outros elementos do contrato, podemos citar algumas diferenças marcantes que ocorreram em 2001 e que, em grande parte, poderiam ter sido evitadas:


  • Emissão temporária de títulos de investimento CIC sem autorização da CVM e sem as devidas garantias;

  • Expectativa de rentabilidade incongruente com os riscos e variações do ciclo pecuário. As ofertas com expectativa superior a 30% em 18 meses;

  • Sem confirmação tecnológica de lastro em atívo físico;

  • Grandes fazendas com operações centralizadas;

  • Inexistência de termos de risco;


O que temos hoje a disposição?


  • Resolução CVM88 que regula a oferta pública de distribuição de valores mobiliários de emissão de sociedades empresárias de pequeno porte, realizada com dispensa de registro por meio de plataforma eletrônica de investimento participativo e delibera sobre a obrigatoriedade de manutenção da:

    • Política de privacidade;

    • Termos de uso;

    • Manual do investidor;

    • Plataforma tecnológica auditava e devidamente aprovada pela CVM;

    • Código de conduta;

    • Termos de ciência de risco;

    • Gestão societária;

  • Utilização do modelo de contrato CIC com remuneração fixa e variável com foco em operações de longo prazo e respeitando a dinâmica do ciclo pecuário;

  • Empreendimentos decentralizados e indepentendes;

  • Emprego de tecnologia de monitoramento remoto do rebanho para acompanhamento e visibilidade a nível de rebanho;


Agora que você conhece as principais diferenças entre o que houve no passado e o modelo inovador de produção descentralizada utilizdado pelo FAZENDACHEIA, vamos falar sobre o que importa: oportunidades de investimento.




XINGU 5X22: UM INVESTIMENTO acessível, regulado e monitorado

Trata-se de uma captação estruturada, com foco no sistema semi-intensivo de recria e comercialização de novilhas da raçã Nelore na região de Mato Grosso.


Conforme o resumo informativo do empreendimento, o projeto será operado por Valkerson Zacarkim, zootecnista com experiência em produção animal, gestão de negócios e genética animal e expectativa alvo de rentabilidade anual é de 19,4% a.a.


Agora que você conhece o nosso modelo de operação alicerçado em tecnologia, o que acha de iniciar o seu rebanho investindo no Xingu5x22?




Para saber mais sobre investimentos alternativos e conhecer outras ofertas imperdíveis como essa, conheça nossas ofertas


0 comentário

Comentarios


bottom of page